Assume a presidência do Bandes o advogado Munir Abud

O mais jovem presidente do Banco de Desenvolvimento do Estado do Espírito Santo, o advogado Munir Abud assume o cargo. Ele afirma que o Bandes vai abraçar os empreendedores capixabas nos 78 municípios

O mais novo diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Munir Abud de Oliveira tomou posse nesta segunda-feira, 01, no cargo e dá início às ações como executivo do banco.

Munir Abud assume o Bandes com o objetivo de ampliar e atualizar os produtos e serviços oferecidos para as empresas de todos os portes do Espírito Santo. “O banco passou por uma modernização administrativa, reposicionamento comercial e reversão de resultados. Agora vamos dar uma atenção especial ao sistema de Parcerias Público-Privadas (PPPs) do Espírito Santo, bem como buscar a desburocratização de projetos em andamento, assegurando o desenvolvimento econômico do Estado”, apontou.

A Reportagem do Portal Espírito Santo Notícias esteve na Presidência do Bandes, na manhã desta segunda-feira e conversou com Munir sobre a posse e os planos dele a frente do Banco de Desenvolvimento. Confira:

Jornal: Munir, hoje, oficialmente você assume a presidência do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo – Qual a boa notícia que você traz para os capixabas?

Munir: A boa notícia que eu trago para os capixabas é que eles podem ter certeza de um Banco de Desenvolvimento muito mais próximo da sociedade. Um Banco de Desenvolvimento que vai se interiorizar, no sentido de que vamos levar a todos os capixabas eventos do Banco, explicando como que funciona as linhas crédito. Nós vamos direto aos nossos clientes. Vamos entregar a eles a oportunidade de fazer negócio com o Banco. Vamos transformar o Bandes no verdadeiro braço do desenvolvimento econômico do Estado do Espírito Santo. Vamos desburocratizar o acesso ao crédito. Vamos tornar o acesso ao banco simplificado e facilitar. Os capixabas têm de se sentir um pouquinho dono deste banco também.   

Jornal: Os 78 municípios do Espírito Santo vão receber este abraço do Bandes?

Munir: Os 78 municípios vão receber este abraço próximo do Bandes. Hoje, é claro que o Bandes atende qualquer empresário que deseja comparecer as suas instalações, mas nós vamos inverter a lógica. Nós vamos até o empreendedor. Vamos criar uma conexão de proximidade com o empreendedor capixaba, nós queremos conhecer de perto os nossos empreendedores, empresários que desejam crescer e que precisam do Banco de Desenvolvimento.

Jornal: O empresário capixaba tem pressa e a burocracia pode atrapalhar um pouco a vida do empreendedor que não tem muito tempo. Como pretende agilizar o relacionamento?

Munir: O Bandes quer chegar próximo dos municípios no sentido de demonstrar que a burocratização será superada. Que o acesso ao crédito será facilitado, quando o empreendedor compreender que ele pode falar direto com o presidente do banco. Ele vai ter acesso direto, a quem, entre aspas, assina o cheque. Isto vai criar uma facilidade, uma confiança e credibilidade de poder apostar e acreditar. Que se você quiser empreender no estado do Espírito Santo, o governo do Estado acredita em você.  

Jornal: Pandemia, crise econômica, um verão destruído e perda de empregos e renda, é o momento de o empreendedor buscar apoio, acreditar, dele procurar o Bandes?

Munir: É o momento de o empreendedor acreditar e mais do que isso: é o momento do Estado do Espírito Santo acreditar no seu empreendedor. Acreditar que ele pode ser resgatado, especialmente aqueles afetados pela pandemia. Acreditar que nós podemos considerar ele uma chance de se reinventar, de se reinserir no mercado, de mostrar para ele que o Estado do Espírito Santo socorre aqueles que são seus. Nós não vamos deixar o empreendedor quebrar por falta de oportunidade, por falta de acesso ao crédito de desenvolvimento. Todos vão ter uma oportunidade.

Jornal: Presidente, esta aproximação maior com os municípios, como é que ela vai se dar? Qual o caminho do empreendedor para ele chegar até aqui?

Munir: Nós vamos procurar as associações de comércio local de cada município, cada cidade tem a sua peculiaridade, os empresários estão associados em alguma forma de associação ou sindicato. Vamos a todos os municípios, vamos procurar especialmente as Câmaras de Vereadores, porque entendemos que os vereadores são a primeira porta de entrada do cidadão com o poder público. Nós pretendemos privilegiar as Câmaras de Vereadores porque eles são os verdadeiros disseminadores das boas ações e oportunidade no Banco de Desenvolvimento.

Jornal: Munir, você não chegou hoje ao governo. Para você chegar hoje e sentar na cadeira de presidente do Bandes. Teve um caminho percorrido…

Munir: Teve um caminho percorrido, nós ficamos aproximadamente dois anos a frente da Agência de Regulação de Serviços Públicos do Estado, onde pudemos dar um passo muito grande na contribuição na criação da estatal de gás, a Espírito Santo Gás, onde podemos inaugurar os primeiros passos para a modernização no setor de gás, no quesito regulamento, alinhando o Estado do Espírito Santo no conceito de novo mercado de gás idealizado pelo governo federal, na possibilidade de criação de um ambiente de energia barata, isso tudo foi feito no nosso período a frente da Agência de Regulação de Serviço. Entendido que já fora cumprido aquele período, o trabalho realizado lá, o govenador entendeu que era hora de nos dar uma outra oportunidade de trabalho e me conferiu a honra de presidir o Banco de Desenvolvimento do Estado.

Jornal. É o mais jovem presidente do Bandes?

Munir: Sim, o mais jovem.

Jornal: Algum agradecimento, presidente, hoje?

Munir: Em primeiro lugar a Deus, que me deu saúde, condição de trabalho, de servir ao governador. Agradeço ao governador, a toda minha equipe de trabalho no Estado do Espírito Santo, aos secretários, subsecretários, gerentes, a todos que estiveram sempre do meu lado. Desde a senhora que serve o meu cafezinho de todos os dias, que me dá energia para trabalhar até o governador.

Jornal: Breve curriculum

Munir: Advogado, antes de chegar ao Bandes, Munir Abud atuou como diretor-presidente da Agência de Regulação de Serviços Públicos do Estado do Espírito Santo (ARSP). Foi procurador-geral de Anchieta e conselheiro da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Espírito Santo OAB/ES.  Mestrando em Direitos e Garantias Fundamentais pela Faculdade de Direito de Vitória (FDV), pós-graduado em Direito Administrativo (2020) pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/MG).

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *