ANCHIETA/ES • Tássio conversa com o jornal sobre os desafios na Câmara

Entrevista com o presidente da Câmara de Anchieta o jovem Tássio Brunoro

 

Quais os desafios com que você se deparou ao assumir a presidência da Casa, diante do quadro econômico vigente – nas esferas municipal, estadual e federal?

R: Encontrei um quadro desafiador, devido ao novo cenário econômico da cidade. Começamos a desenvolver a gestão com foco em proporcionar mais eficiência e menor custo, ao mesmo tempo que empreendemos ações para aproximar as pessoas do dia a dia do Legislativo Municipal. Adequações foram necessárias para manter compromissos com fornecedores, servidores e com a população anchietense. Ao longo da gestão, promovemos vários ajustes para superar os desafios sem a necessidade de diminuição do quadro ou dos direitos conquistados ao longo do tempo pelos nossos servidores.

Juventude costuma ser sinônimo de modernidade. Quais as novas ideias você trouxe e implantou na Casa?

R: Eficiência, transparência, economia e participação popular. Foi com esses pilares que norteamos as ações que temos desenvolvido na gestão da Casa. Dentre as ações que modernizaram a nossa gestão, podemos citar a implantação do Câmara Sem Papel e disponibilização de um aplicativo onde o cidadão pode acompanhar em tempo real as ações no Legislativo, além da implantação da transmissão ao vivo das Sessões no Facebook, disponibilização do contracheque digital aos servidores, digitalização do banco de arquivos tramitados, alimentação online do Portal e outros. Os dois primeiros (Câmara Sem Papel e Aplicativo) possuem plataforma totalmente via web, permitindo o acesso do cidadão ao sistema por meio de qualquer dispositivo conectado à internet, trazendo economia e dando mais agilidade e transparência na tramitação dos processos legislativos, além de demonstrar a nossa responsabilidade com o meio ambiente e com o futuro da nossa cidade.

Em 2017 houve um aumento expressivo na quantidade e na qualidade da produção parlamentar na Câmara de Anchieta. A que você atribui este expressivo aumento?

R: Temos um novo Legislativo em Anchieta. A facilitação do acesso do cidadão e aproximação das atividades do Legislativo com a comunidade anchietense estimulou e contribuiu para que tivéssemos esse aumento considerável em nossa produção legislativa. Em 2016 foram 471 produções legislativas, contra as mais de 1,2 mil ocorridas em 2017.

A Câmara promoveu uma série de seminários para seus servidores em 2017. Qual a importância da capacitação funcional para você, principalmente com a presença do Executivo, na oferta dos diversos serviços à população?

R: A maior importância se dá na capacitação dos servidores e melhor dinamismo com os serviços oferecidos pelo Executivo Municipal, vez que muitos destes seminários foram feitos em parceria com a Prefeitura. Com mais conhecimento, trouxemos mais eficiência ao desenvolvimento dos serviços da Casa e do atendimento ao cidadão anchietense.

Além da Sessão Solene tradicional, que acontece em Junho, aconteceram mais duas de caráter cultural. Por quê?

R: O intuito é de cada vez mais aproximar do cidadão com o trabalho da Câmara, valorizando nosso povo e nossa cultura. Em ação inédita, provocada e abraçada por todos os vereadores, promovemos uma Sessão Solene dedicada à Consciência Negra, voltada à valorização da cultura, ao fomento do respeito à diversidade e ao combate à discriminação racial. Também, pela primeira vez, cerca de 50 pessoas foram homenageadas na Sessão Solene dedicada aos Trovadores e Artistas Locais, com o intuito de preservar e estimular o apreço pela história e pela cultura de Anchieta.

Fale sobre o que a Câmara fez para desenvolvimento econômico do município.

R: Diversas indicações e requerimentos foram voltados a esta pauta. Fomento às parcerias público-privadas, criação de um polo industrial, ampliação do uso de produtos da agricultura familiar na merenda escolar, criação de um sistema turístico integrado, enfim, há um vasto horizonte de fomento ao desenvolvimento de políticas públicas voltadas para a promoção do desenvolvimento econômico, na cidade e no interior, no turismo, no esporte, na cultura e na indústria. No final do ano, a Câmara de Anchieta sediou o lançamento de um Fórum de Discussão Permanente dos Legislativos da Região Sul, com a proposta de discutir e alavancar o desenvolvimento de forma regionalizada.

Além destas ações, destaco a criação da Comissão Especial de Desburocratização e Empreendedorismo, que regulamentamos por meio da Resolução Nº 14/2017, que já está estudando e propondo reformulações da legislação do município, diminuindo os obstáculos burocráticos ao empreendedorismo. O projeto foi iniciativa dos vereadores Renato Lorencini, Richard Costa e Alexandre Assad, os quais foram designados para compor a Comissão, que já iniciou um levantamento de toda a legislação municipal e certamente irá alavancar a abertura de novos negócios, a ampliação dos já existentes e, consequentemente, melhorar a geração de emprego e renda em nossa cidade.

Qual a importância do Fórum de Discussão Permanente dos Legislativos da Região Litoral Sul?

R: A maior importância está no fomento ao desenvolvimento regional. Cada vez mais o mundo caminha para a globalização. As nossas necessidades, muitas vezes, são semelhantes às de nossos vizinhos e, juntos, temos mais poder de articulação. Por isso, as Câmaras dos municípios de Anchieta, Alfredo Chaves, Iconha, Itapemirim, Marataízes, Piúma, Presidente Kennedy e Rio Novo do Sul, se reuniram para debater questões acerca do desenvolvimento econômico, desafios e propor ações que visem melhoria para a região.

No primeiro ato do Fórum, assinamos o Protocolo de Intenções entre os Legislativos, que objetiva a cooperação e intercâmbio técnico entre as Câmaras Municipais que integram a Região. É uma nova ferramenta à disposição de toda a população da região.

Quais são suas expectativas em relação ao retorno das atividades da Samarco e o que a Câmara está fazendo para que isso aconteça?

R: As expectativas são muito positivas, e é certo que estamos preocupados com a situação da paralisação da Samarco, sobretudo, no impacto financeiro e na geração de emprego e renda do município. Desde o ocorrido temos trabalhado pelo retorno das atividades da empresa sem, claro, cobrar as devidas responsabilizações. No início do ano, a Câmara como um todo se mobilizou em ações visando o retorno do funcionamento da Samarco, reunindo-se com representantes da empresa, agentes políticos e participando das audiências públicas que aconteceram em função do processo de retomada das operações da mineradora.

Com foco econômico, onde Anchieta não pode mais errar?

R: Precisamos avançar no fortalecimento das nossas economias de base. O desenvolvimento do empreendedorismo, turismo, agricultura e pesca precisam ir além de planos de governo, precisam tornar-se políticas públicas, onde este processo de desenvolvimento não dependa de projetos políticos. Precisamos pensar no longo prazo e garantir que estas ações serão implementadas.

Fale sobre o impasse no transporte dos estudantes de cursos superiores e técnicos e Prefeitura, assim, como o repasse destinado ao Hospital do MEPES.

 R: Em julho, promovemos uma Audiência Pública entre os Poderes Legislativo e Executivo, que teve como objetivo debater e construir soluções para o problema que surgiu entre os estudantes e a prefeitura. Ao final, promovemos um aporte financeiro e, com base no diálogo, pudemos contribuir e garantir a manutenção do serviço aos nossos estudantes que precisam deslocar-se do nosso município para dar continuidade aos seus estudos em cursos superior ou técnico.

Do mesmo modo, participamos do debate em relação ao Convênio do Município com o Hospital do Mepes. Conseguimos intervir e o prefeito comprometeu-se a acrescentar R$ 700 mil ao contrato que estava sendo construído para 2018.

Diante do quadro desafiador e devido ao novo cenário econômico da cidade, adequações foram necessárias para manter compromissos com fornecedores, servidores e com a população anchietense. Solidária com a população, a Câmara está devolvendo aos cofres do Executivo mais de R$ 1,5 milhão, referente ao duodécimo recebido no exercício de 2017, para garantir o transporte universitário, convênio com o Hospital e ações de fomento ao turismo.

Fico feliz em poder ter participado destes debates e poder, na condição de presidente do Legislativo e em nome de todos os meus colegas vereadores, contribuir com as soluções (inclusive financeiras). Por isso, vamos continuar gerindo o recurso público com muita cautela e muita responsabilidade.

Quais os novos desafios você vê para este ano?

R: Precisamos trabalhar o fortalecimento das bases econômicas da nossa cidade. O desenvolvimento do empreendedorismo, do turismo, das atividades pesqueira e rural devem impulsionar nosso trabalho neste ano. No Legislativo, vamos trabalhar para consolidar a Câmara Municipal como base dos debates necessários para o fortalecimento da nossa cidade, aumentar ainda mais a eficiência e qualidade dos trabalhos e continuar fomentando a participação das pessoas nas ações do Legislativo. Somente com a participação da população e disposição ao diálogo teremos condições de atravessar os desafios que nos estão postos e criar uma cidade mais fortalecida e estruturada, preparada para superar quaisquer dificuldades. Para isto, contem comigo, com minha disposição e com todo o meu gabinete. Vamos continuar trabalhando por uma cidade melhor para todos! O discurso de otimismo não pode limitar-se ao período eleitoral. Agora é hora de arregaçar as mangas, dialogar muito, e construir diariamente o caminho que desejamos trilhar no presente e no futuro da nossa cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*