ANCHIETA: Operação Pitoco Assassino prende 12, apreende 5 kg de maconha, balança de precisão e dinheiro

Operação Pitoco Assassino prende 12 evolvidos no duplo homicídio contra dois adolescentes em Anchieta e apreende 5 kg de maconha

Os adolescentes foram mortos no dia 15 de março e os envolvidos fugiram, alguns para Colatina onde foram capturados

Veja o vídeo da ação da Polícia

Ponto final para os bandidos que tramaram e mataram os dois adolescentes Josenildo Santos Lopes Júnior, 13 anos, e Carlos Eduardo Nunes Ferreira, 16, residentes no bairro Planalto, assassinados no dia 15 de março, cujos corpos foram encontrados três dias depois na Lagoa de Acaraí com as mãos amarradas.
Desde então o delegado Marcos Nery, responsável pela Delegacia da Polícia Civil em Anchieta instaurou inquérito e partiu pra cima para encontrar e prender os responsáveis pelo duplo homicídio. Foram 12 presos e nesta segunda dia 02, o último envolvido foi preso em Colatina, uma vez que, fugiram de Anchieta em busca da impunidade.


Caíram de cavalo, além estarem sendo monitorados, acharam que iriam continuar a prática do tráfico de drogas em Colatina, mas, o delegado Marcos Nery estava determinado a caçar os bandidos em qualquer lugar que eles estivessem.
De acordo com o delegado que comandou as investigações do duplo homicídio dos adolescentes, no último dia 18 de março (após os crimes ocorridos no final de semana dos dias 13 a 15 de março no Bairro Nova Anchieta, em Anchieta), foi iniciada pela 10ª Delegacia Regional de Anchieta com o apoio da 10ª Cia Ind da PMES a Operação Pitoco Assassino, com o objetivo de prender os autores dos crimes e de acabar com a guerra do tráfico de drogas no local.
Disposto a elucidar os crimes, dar uma resposta à sociedade e dar uma pancada no tráfico que tem ceifado tantas vidas em Anchieta, Marcos Nery cumpriu no dia 26 de março três mandados de prisão temporária de L.R, L. R.S e D.O.N.
Nos dias 30 e 31 de março foram cumpridos mais três mandados de prisão temporária de D.R.S, D.S.S e D.C.R. “Ocorre que, diante das ações policiais, os chefes do tráfico e os principais responsáveis pelos crimes contra a vida, J.M.S e L.S.L evadiram-se para a cidade de Colatina onde passaram a praticar crime de tráfico, juntamente com as companheiras e com jovens colatinenses aliciados para o crime. Com o objetivo de efetuar a prisão desses indivíduos, foi feito contato com o serviço reservado do 8º Batalhão da PMES e com a DENARC/DHPP da PCE, ambos de Colatina/ES, que após tomarem conhecimento dos fatos, passaram a adotar todas as diligências necessárias para o sucesso da operação. Diante do trabalho diuturno de troca de informações, no dia 15 de maio de 2020, Policiais Militares do 8º Batalhão da Polícia Militar de Colatina realizaram a prisão de L.S.L e da companheira dele I.M.S, pois além do cumprimento do mandado de prisão, os policiais encontraram material entorpecente na residência, o que gerou a autuação em flagrante por crime de tráfico de drogas”, ressaltou.
Porém, como frisou Nery, ainda restava efetuar a prisão de J.M.S e da namorada dele L.L.B, que insistiam em continuar a traficar na cidade de Colatina. Entretanto, a alegria dos dois durou pouco, pois não contavam com o incansável trabalho dos policiais. 

No último dia 01, a namorada de J.M.S foi flagrada e presa pelos Policiais Militares do 8º Batalhão da Polícia Militar de Colatina transportando no veículo dela 5 quilos de maconha. Além do carro e da droga foram apreendidos R$1.177,75 (em dinheiro), 01 balança de precisão, material para embalo de entorpecente.
Com todos os comparsas presos, J.M.S passou a tentar se esconder, mas acabou indo parar no xilindró. Por mais uma vez, o bem venceu o mal, pois na manhã desta quarta-feira, 03 PM’s do 8º batalhão da Polícia Militar com o apoio da Denarc/DHPP efetuaram a prisão dele. Não foi fácil, mas ele está a disposição da justiça. Ressalta-se que ao tentar fugir, ele acabou fraturando a mão.
Foram cumpridos 2 (dois) mandados de prisão preventiva contra J.M.S, por crimes de tráfico de drogas e homicídios.

A Operação Pitoco Assassino foi concluída com sucesso, graças ao trabalho integrado das polícias capixabas, pois “o inimigo está do outro lado. Juntos somos mais fortes”, garantiu o delegado concluindo as investigações do assassinato dos meninos de Anchieta e ainda apreendendo 5 kg de maconha. Dos 12, sete estão enjaulados.   

O crime

ANCHIETA: dois adolescentes são encontrados mortos às margens da Lagoa Acaraí, eles podem ser vítimas do tráfico de drogas

Os Corpos dos dois adolescentes Josenildo Santos Lopes Júnior, 13 anos, e Carlos Eduardo Nunes Ferreira, 16, residentes no bairro Planalto, que estavam desaparecidos desde o último domingo, 15 de março foram encontrados na manhã desta quarta-feira (18) de março, em avançado estado de decomposição, às margens da Lagoa Acaraí, no bairro Nova Anchieta/Anchieta/ES.

Tudo indica que foram torturados e assassinados a tiros, a Perícia da Polícia Civil identificou perfurações a bala. Familiares o reconheceram. Juninho e Dudu, assim conhecidos, eram amigos e estavam juntos domingo quando teriam saído de casa afirmando que iriam jogar futsal no Ginásio da Vila Olímpica, em Anchieta. Mas não chegaram lá, foram avistados no centro após as 21 horas e depois desapareceram. O crime abre uma lacuna para a Polícia Civil – PC desvendar. Embora os amigos e familiares afirmem que eram meninos de boa índole e bom coração, há suspeitas que estavam atuando para o tráfico como aviõezinhos e teriam algum envolvimento com traficantes que deixaram um recado no sábado, quando balearam com nove tiros um homem conhecido como Mascarado.     

Os familiares acompanharam os trabalhos da Perícia da PC no final da manhã desta quarta e reconheceram os meninos como sendo os mesmos que estavam desaparecidos.

A dona de casa Izaura Santos Nunes, 38 anos, residente no bairro Planalto, é mãe de Carlos Eduardo, o Dudu. Ela contou que o filho saiu no domingo. “Assim que ele chegou do festival de pipa, tomou banho, jantou e falou comigo que ia aonde estava o irmão Alex, na Vila Olímpica. Eu dei a chave de casa a ele para que não sumisse e voltasse para casa. Mas ele disse que ia ali e já voltava. Alex chegou em casa e eu perguntei: cadê seu irmão? Estou desde domingo sem notícias e agora eu recebo esta informação de que meu filho está morto. Eu quero uma resposta. Quem fez isso com meu filho. Meu filho foi embora”?

Perguntada se o filho tinha envolvimento com o tráfico de drogas, a mãe de Dudu limitou-se a dizer que dias atrás ele apareceu em casa com dinheiro que seria de um rapaz conhecido como Mascarado e que ela o fez devolver. “Ele não me respeitava, eu era mãe e pai ao mesmo tempo. Mas se eu mandasse ele fechar a casa, ele fechava. ‘Ele tinha um negócio’, mas eu peguei o dinheiro e dei ao homem que ele estava devendo, eu não conheço este Mascarado”.

Nas proximidades da Lagoa onde os corpos foram encontrados um homem sem se identificar contou que, sábado o Mascarado foi alvejado com nove tiros na rua, e teria sido socorrido para um hospital da grande Vitória em estado grave e que, este Mascarado é a chave de tudo.

O irmão de Carlos Eduardo, Alexandro Nunes Ferreira, 19 anos contou que os meninos não tinham hábito de dormir fora de casa porque estudavam, ficou estranho o sumiço sem resposta até esta quarta-feira. Depois das 21 horas os dois foram vistos no Centro com outros meninos. Até a bicicleta sumiu. “Desde domingo estamos procurando desde domingo”.

O delegado Marcos Nery, que responde pela Delegacia de Anchieta instaurou o inquérito e interrogou no início da tarde um suspeito que foi detido pela manhã.

Intimou a delegacia a mãe de um adolescente que estava com Carlos Eduardo e Josenildo no domingo e está supostamente desaparecido. “A mãe dele falou que não conseguia falar com ele (o adolescente que estava junto e está sumido), eu fui à casa dela e disse que se ele não aparecesse eu iria pegar o outro filho dela, rapidinho ela conseguiu falar com o filho dela. Ele sabe de alguma coisa, até agora ele não apareceu. Nós rastreamos o celular dele, deu em Vitória, e estão dizendo que ele está no RJ. Ficou de aparecer ontem para depor e não veio. Eu espero que a polícia resolva esta situação. A peça chave pode ser o R. que está desaparecido”, frisou Alex, irmão de Carlos Eduardo.  

A perícia técnica recolheu os cadáveres e encaminhou para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim que deverão ser necropsiados e liberados para sepultamento.

Guerra do tráfico

Os bairros Planalto e Nova Anchieta são marcados pela disputa constante do tráfico e têm um histórico manchado de sangue. Os dois encontrados nesta quarta aumentam a estatística.

O adolescente R. M. M. F, 16 anos, residente no bairro Planalto foi assassinado com vários disparos de arma de fogo na cabeça, na madrugada desta quarta-feira, 19 de junho.

No dia 14 de outubro, Dionatan Costa Silva, de 24 anos foi morto a tiros. A vítima conhecida como Tem Tem foi atingida por pelo menos oito disparos quando passava pela rua Dragão Marinho, no bairro Nova Anchieta. Uma pessoa em uma motocicleta teria abordado a vítima e efetuado os tiros.

No dia 08 de agosto de 2018, um casal de namorados foi encontrado mortos a tiros dentro da casa onde residiam no bairro Planalto em Anchieta.

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*