VERÃO: passeio, azaração e oportunidades

Publicado em às 21:28.
Por Luciana Maximo

A Reportagem do Jornal Espírito Santo Notícias viajou no mês de janeiro por diversas praias entre o Sul do ES, a Região dos Lagos, no Rio e a tão sonhada Copacabana- RJ. Passou por diversas praias e fez inúmeros registros fotográficos e live’s.

 

De 21 de dezembro a 20 de março é verão.  Verão (da expressão latina vulgar veranum tempus, “tempo primaveril” é uma das quatro estações do ano, caracterizada por ser a estação mais quente. Neste período, as temperaturas permanecem elevadas e os dias são mais longos do que os dias de outras estações. Geralmente, o verão é também o período do ano reservado às férias.

No litoral sul capixaba, a grande expectativa do ano gira em torno da alta temporada, o chamado verão, como também na região de montanhas, onde o clima é mais ameno. E para falar a verdade, entre o mar e a montanha, no sul do ES, a distância não é tão longa, além das paisagens serem estonteantes.

O que se pode perceber durante tantas paradas em tantos balneários é que milhares de famílias saem para passear, jovens se jogam na azaração e grande parte das pessoas passa todos os dias de calor e sol a pino, “ralando”, aproveitando as oportunidades de ganhar extra, de conseguir um free lance, de ganhar um dinheiro para passar o inverno com mais tranquilidade.

Churrasquinho em alto mar para as escunas

Em Búzios, RJ flagrante para os jovens que fazem o churrasquinho em alto mar em pequenas lanchas e saem em disparadas para comercializar nas grandes escunas e barcos durante os passeios pelas 12 praias mais badaladas. Assim como o açaí e o picolé. Os ambulantes ficam literalmente a deriva em busca das embarcações que levam turistas as mais diversas praias.

 

Champanha na taça na Praia das Conchas

Em, Cabo Frio, destaque para o vendedor de champanha, na Praia das Conchas/ Bandeira Azul e referência no mundo, uma das mais cobiçadas, onde dificilmente se saboreia uma porção de iscas de peixe com fritas por menos de R$120.00.

Os vendedores ambulantes por lá se esbarram nas milhares de sombrinhas e nas areias mais brancas já vistas.

 

Copacabana concorrência faz o preço cair

Foto/ ambulante no rio / Leandro Marques

Pasmem, a ideia que se tem para quem nunca pisou em Copacabana, a praia mais badalada do país, é que lá as coisas são caríssimas e são! Entretanto, com o grande número de ambulantes comercializando o mesmo produto, ganhou o consumidor, o preço caiu. Ao mesmo tempo em que se oferecia um latão de cerveja por R$7.00, em seguida, outro ambulante oferecia três por R$10.00, o mesmo preço das quentinhas. Por lá, tudo se vende, eles se atropelam e se misturam aos turistas do mundo inteiro.

Ambulantes não tem idade

Pelas bandas de cá e pelas bandas de lá, famílias inteiras também vêm curtir o mar e as belezas naturais. Nos bares, à noite, além da música ao vivo em várias casas, a azaração é certa.

Na Feira do Sol em Piúma, além de muita variedade de produtos e preços, trabalho para quem estava sem um trampo. Mas de dia, é que tudo se ver, além das praias cheias, muita gente ganhando um troco a mais para garantir o pagamento dos boletos. É possível avistar adolescentes, mulheres, jovens e idosos percorrendo as areias.

Na Lagoa do Siri, um homem cobrava R$5.00 para o turista passar a mão em uma cobra de estimação e poder fotografar com ela. De tudo, abacaxi, coco, cocadas, ostras, milho, picolé, camarão empanado, salgados, panos de prato, rede, cangas, caixas de som portátil, pendrive a tatuagem. Só fica de bobeira quem não tem disposição para encarar um trampo, no mais todos ganham.

 

Broa de fubá e pão caseiro delícias de Ubu

Em Ubu/Anchieta, a Reportagem encontrou Alda Bernardes Nascimento vendendo pães caseiros e broa de fubá recheada de goiabada. Muita simpatia e energia positiva. “Cinco anos no mercado, três nesta praia e os meus produtos são só elogios. São seis qualidades de pães recheados. Fora do verão, eu vendo queijo de Venda Nova do Imigrante e o pão caseiro em Anchieta no meu furgão. Tem que ter luz para fazer este trabalho todos os dias”, disse Alda.

 

Queijinho na brasa: oito anos na Praia dos Namorados

Já experimentou um queijinho na brasa com orégano e molho de alho? E Com mel ou melaço? E com goiabada? É simplesmente delicioso. O negócio deu tão certo que quando começou era apenas um carrinho e um ponto estratégico em Piúma. Agora o casal está com franquia, carrinho do Rei do Queijo em Piúma, na Praia dos Namorados e na Praia da Costa Azul e Areia Preta em Iriri. É o que há, de gostoso!

Em Piúma o casal, Josuel Gonçalves e a esposa Angélica já trabalham há 12 anos, nas praias de Iriri, uns oito anos. Em média vendem até 300 queijos na brasa por dia. Tudo com o maior cuidado e higienização. “O queijinho na brasa faz parte das nossas vidas”, disse Angélica, que repete, “Jesus é o segredo do nosso sucesso”.

Angélica assegura que é preciso trabalhar com material de qualidade e ter muita atenção com o produto. “Mais de 15 anos dedicados ao trabalho na Praia, trabalhamos no verão para ter mais estabilidade no inverno”.

“Eu venho pra cá porque aqui é o melhor lugar de Iriri, a Praia dos Namorados. Sou apaixonado. A qualidade que faz o sucesso do Rei do Queijo”, comenta Josuel, o Rei do Queijo.

 

Todos faturam no verão

A Reportagem flagrou neste mês que se despede diversas cenas que valem a pena ficar na memória. O artesanato de Piúma, o idoso em Cabo Frio vendendo de tudo um pouco para ajudar na renda, o trenzinho que roda a cidade com crianças e o vendedor de pirulito no trio elétrico.

 

 

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*