Presidente do Banestes é investigado em operação da Polícia Federal

Publicado em às 18:21.
Por g1 Globo

O presidente do Banestes, Vasco Cunha Gonçalves, é um dos investigados na operação da Polícia Federal deflagrada nesta terça-feira (29). Ele assumiu o cargo nesta segunda-feira (28).

Por nota, o Banestes informou que o Conselho Administrativo se reunirá até o final desta tarde para escolher, entre os atuais diretores, quem assumirá interinamente a presidência, até que o novo presidente seja escolhido e nomeado.

A operação Circus Maximus apura esquema de pagamento de propinas a diretores e ex-diretores do Banco de Brasília (BRB) em troca de investimentos em projetos como o do extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro, atualmente LSH Lifestyle.

Vasco Cunha Gonçalves era diretor-presidente do BRB até o início deste mês, função que desempenhou nos últimos quatro anos.

A Polícia Federal cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão, autorizados pela 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, em endereços comerciais e residenciais no Distrito Federal, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.

De acordo com investigadores, a operação tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa instalada no BRB desde 2014. Empresários e agentes financeiros autônomos são suspeitos de cometer crimes contra o sistema financeiro, corrupção, lavagem de dinheiro, gestão temerária, entre outros.

Investigados

Além de Vasco Cunha Gonçalves, entre os investigados estão também Diogo Cuoco e Adriana Cuoco, parentes do ator Francisco Cuoco, e o neto do ex-presidente João Figueiredo, Paulo Renato de Oliveira Figueiredo Filho.

Governo do Espírito Santo

Por meio de nota, o governo do Espírito Santo se pronunciou sobre a investigação da Polícia Federal envolvendo o presidente do Banestes.

Informou que o nome de Vasco Cunha Gonçalves foi aprovado pelo Banco Central, que promove rigorosa análise dos currículos dos indicados para bancos públicos. Que a operação estava em segredo de Justiça e o governo do Espírito Santo foi surpreendido pelos fatos.

A escolha e nomeação de um novo presidente é uma determinação do estatuto do Banestes, e uma reunião do Conselho Administrativo será feita ainda nesta terça para escolher o presidente interino.

RENÚNCIA

O presidente do Banestes, Vasco Cunha Gonçalves, é um dos investigados na operação da Polícia Federal deflagrada nesta terça-feira (29). Ele assumiu o cargo nesta segunda-feira (28).

Por nota, o Banestes informou que o Conselho Administrativo se reunirá até o final desta tarde para escolher, entre os atuais diretores, quem assumirá interinamente a presidência, até que o novo presidente seja escolhido e nomeado.

A operação Circus Maximus apura esquema de pagamento de propinas a diretores e ex-diretores do Banco de Brasília (BRB) em troca de investimentos em projetos como o do extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro, atualmente LSH Lifestyle.

Vasco Cunha Gonçalves era diretor-presidente do BRB até o início deste mês, função que desempenhou nos últimos quatro anos.

A Polícia Federal cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão, autorizados pela 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, em endereços comerciais e residenciais no Distrito Federal, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.

De acordo com investigadores, a operação tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa instalada no BRB desde 2014. Empresários e agentes financeiros autônomos são suspeitos de cometer crimes contra o sistema financeiro, corrupção, lavagem de dinheiro, gestão temerária, entre outros.

Investigados

Além de Vasco Cunha Gonçalves, entre os investigados estão também Diogo Cuoco e Adriana Cuoco, parentes do ator Francisco Cuoco, e o neto do ex-presidente João Figueiredo, Paulo Renato de Oliveira Figueiredo Filho.

Governo do Espírito Santo

Por meio de nota, o governo do Espírito Santo se pronunciou sobre a investigação da Polícia Federal envolvendo o presidente do Banestes.

Informou que o nome de Vasco Cunha Gonçalves foi aprovado pelo Banco Central, que promove rigorosa análise dos currículos dos indicados para bancos públicos. Que a operação estava em segredo de Justiça e o governo do Espírito Santo foi surpreendido pelos fatos.

A escolha e nomeação de um novo presidente é uma determinação do estatuto do Banestes, e uma reunião do Conselho Administrativo será feita ainda nesta terça para escolher o presidente interino.

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*