NOTA DE FALECIMENTO: a voz que silencia a população

Publicado em às 14:45.
Por Luciana Maximo

 

Você pode estar fazendo qualquer coisa em casa, no trabalho, passa o carro de Tião e eis que a voz surge: Nota de falecimento: comunicamos o falecimento de…

 

Não tem como não calar a boca na hora que o carro de som passa anunciando o falecimento de alguém. Há quem perde o início do comunicado e fica tentando ouvir o final para saber quem morreu na cidade.

É este o serviço mais procurado atualmente com o homem que criou uma marca, um conceito no município. É ele o cara do som.

Sebastião Gomes de Abreu, poucos o conhece com esse nome em Piúma/ES. Contudo, basta o carro passar anunciando a nota de falecimento pelas para que todos reconheçam a sua voz: Tião do Som.

Tião dedica sua vida ao som, desde 1985, foi dele a ideia fenomenal de criar a Rádio Praia que funcionava nos postes pelas ruas da cidade, a mesma que foi perseguida pelo padre, o promotor, os políticos. E, Tião nem era tão polêmico fazia serviços de utilidade pública, entretanto a audiência era tão grande que deixava com medo que tinha o rabo preso.

A comunicação sempre esteve nas veias de Tião do Som, que começou meio que por acaso, seu trabalho que hoje, todos solicitam, a cada vez que falece um parente, ou que precisa anunciar um produto. Tião é o cara!

“Inicialmente o meu primeiro trabalho com som foi um anúncio, na época da convenção do PMDB, em 1985. A convenção de Vitória deu briga com o governador Gerson Camata, jogaram pedra e o agrediram, aí fizeram a segunda convenção lá, mas foi feita uma outra aqui na Fazenda Scherrer. O primeiro prefeito de Piúma, José de Vargas Scherrer, que era como um pai para mim na época, me procurou, porque eu tinha um trailer que fazia música ao vivo à noite, nos finais de semana. Com muita falta de luz, eu colocava o som do trailer na bateria. Ele pediu para eu colocar no carro dele, e fiz ao vivo as propagandas, pois não tinha gravadora, nem condições de gravar. Eu rodei nos munícipios todos, Marataízes, Iconha, Rio Novo do Sul, e fui até Vila Velha, com isso o Cláudio do supermercado que era Nogueira, hoje Multishow, me chamou para fazer a inauguração do supermercado em 1986. Ele fez um contrato de 4 meses comigo, e trabalhei com ele 14 anos”, lembrou.

Seu Tião é a voz da Feira do Sol. Desde que chegou a Piúma ele é o locutor oficial, não tem como adentrar a Feira e não ouvir a voz dele. “Eu comecei na Feira do Sol fazendo propaganda para abertura, e depois virei o radialista oficial”.

Já a nota de falecimento surgiu porque há muitos anos quem fazia era a igreja e parou de fazer. “Vieram me pedir, e eu comecei a fazer”.

O maior sucesso mesmo foi a Rádio Praia. “Criei a Rádio Praia que funcionava com 144 caixas de som nos postes, sempre com recurso próprio e sem ajuda de ninguém, era uma utilidade pública. A Rádio durou 10 anos e parou pelas forças contrárias locais: o prefeito, o padre, o promotor. A repercussão sempre foi muito boa, só não foi nos meios políticos”, riu.

Tião em Piúma sempre esteve à frente do tempo dele, foi o primeiro a possuir computador. “Eu fui pioneiro em muita coisa, em sistema de tecnologia, o primeiro computador foi eu que tive, em 1993. Comprei e aprendi a usar, quem me ajudou a começar foi o Willian, esposo da filha do dono do Posto Praia Linda. Atualmente tenho o meu próprio estúdio em casa, faço bastante propaganda, nós vivemos disso”, finalizou.

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*