Lançamentos de escritores capixabas em destaque na Bienal Rubem Braga

Publicado em às 11:18.
Por Assessoria de Imprensa

Um dos autores é Wesley Sathler, que lançará romance sobre colunistas sociais da década de 80.

A 7ª Bienal Rubem Braga, evento literário a ser realizado em Cachoeiro a partir da próxima terça (15), na Praça de Fátima, será recheado de lançamentos de livros. Dentre eles, estão obras de diversos autores capixabas, nos mais variados gêneros literários. Os lançamentos se dividirão entre o Auditório Newton Braga e a Sala Rubem Braga.

Um dos destaques é “Fair Play – o grande deboche”, romance do conhecido jornalista e colunista social Wesley Sathler. Inspirada em acontecimentos reais, a obra aborda a rivalidade de duas colunistas sociais da década de 80 no Espírito Santo.

“É uma história muito bem-humorada e que, ao mesmo tempo, trata da importância e influência do colunismo social na década de 80. É o meu sexto livro e estou muito feliz de poder lançá-lo na Bienal Rubem Braga, evento que acontece em uma cidade reconhecida por seus grandes artistas”, comenta Sathler.

Outro destaque é o livro “O Breviário do Silêncio”, que reúne 52 poesias elaboradas entre 2016 e 2018 pelo escritor Anaximandro Amorim, membro da Academia Espírito-Santense de Letras. “Breviário é um pequeno livro de orações, e silêncio dá uma ideia de introspecção, de alguém que se volta para dentro, para si mesmo, recolhendo-se. Algo muito difícil nestes tempos de tanto barulho, de tanta correria”, explica.

Nove cidades capixabas representadas

Dentre os livros capixabas, há representantes de ao menos nove municípios do estado. Somente de Alegre, serão quatro lançamentos: “Os Dalmarco”, romance de Daniel Sueth; “Anjos Existem” e “Sob a luz da aurora”, dois livros de ficção de Sandra Muniz; e o reflexivo “Viagem para o infinito”, de Jonathas José Garcia.

Da capital Vitória, além dos trabalhos de Sathler e Anaximandro, mais três lançamentos: “Impressões da Idade Média”, do acadêmico Ricardo da Costa; “Os Mamíferos – crônica biográfica de uma banda insular”, escrito por Francisco Grijó, a partir de pesquisa iniciada por Murilo Abreu, sobre o lendário grupo musical que marcou o período da contracultura no Espírito Santo; e o romance “3:20”, de Jorge Wilson.

De Guaçuí, outros dois livros, ambos de poesia: “Horas Vargas”, do escritor e professor Weber José Vargas Müller, e “Retratos de uma adolescente”, da estudante Monize Silva Marques.

Outras obras capixabas a serem lançadas são “Do outro Lado do muro”, autobiografia do empresário Alcy Bitencourt (Marataízes), com produção do historiador Roberto Al Barros (de Muqui, morador de Cachoeiro); “Travessia”, com poesias de Ronis Vilas Verde (Pancas); o infantojuvenil “Será que o seu passado foi mudado?”, de Leônidas Lobato (Divino de São Lourenço); “Colorindo meu Espírito Santo”, livro para colorir da artista plástica Andrea Espíndula (Cariacica); e “O sabiá e eu”, no qual o escritor Maciel de Aguiar (São Mateus) fala sobre sua convivência com Rubem Braga.

A Bienal

A programação completa da 7ª Bienal Rubem Braga, que inclui mesas-redondas com participação de escritores e artistas de renome, oficinas, atrações culturais para o público infantojuvenil e shows, pode ser conferida em www.bienalrubembraga.cachoeiro.es.gov.br. Todas as atividades são gratuitas e, para algumas delas, é preciso fazer inscrição prévia, por meio do site oficial.

O evento literário é uma realização da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Semcult), apoiada pelo governo do estado, Unimed Sul Capixaba, Sebrae, Sesc, Senac, Universidade Dederal do Espírito Santo (Ufes), Instuto federal do Espírito Santo (Ifes – campus Cachoeiro) e TV Gazeta Sul.

Lançamentos de escritores capixabas:

Quarta-feira, 16
10h30 – “Do outro Lado do muro”, autobiografia de Alcy Bitencourt (Marataízes) e produção de Roberto Al Barros (Cachoeiro/Muqui)
19h – “Os Dalmarco”, de Daniel Sueth (Alegre)
19h30 – “3:20”, de Jorge Wilson (Vitória)

Quinta-feira, 17
10h30 – “Anjos Existem” e “Sob a luz da aurora”, de Sandra Muniz (Alegre)

Sexta-feira, 18
8h30 – “Impressões da Idade Média”, de Ricardo da Costa (Vitória)
10h30 – “Viagem para o infinito”, de Jonatas José Garcia (Alegre)
16h – “Será que o seu passado foi mudado?”, de Leônidas Lobato (Divino de São Lourenço)*
18h – “Travessia”, de Ronis Vilas Verde (Pancas), e “O sabiá e eu”, de Maciel de Aguiar* (São Mateus)

Sábado, 19
14h – “Fair Play – o grande deboche”, de Wesley Sathler (Vitória)*
15h – “Os Mamíferos – crônica biográfica de uma banda insular”, de Francisco Grijó e Murilo Abreu (Vitória)

Domingo, 20
8h30 – “Horas Vargas”, de Weber José Vargas Müller, e “Retratos de uma adolescente”, de Monize Silva Marques (Guaçuí)
10h30 – “Colorindo meu Espírito Santo”, de Andrea Espíndula (Cariacica), e “O Breviário do Silêncio”, de Anaximandro Amorim* (Vitória)

*Livros que serão lançados na Sala Rubem Braga. Os demais lançamentos acontecerão no Auditório Newton Braga.

Enviar comentário

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Campos obrigatórios marcados com *.

*
*
*